Entrevista

Contabilidade Digital – entrevista com Marcelo Lombardo

28092012-sem título_setembro_1_cut

A contabilidade digital é uma categoria de serviços contábeis relativamente recente no mercado brasileiro. Ela surgiu como uma resposta das empresas de contabilidade e seus fornecedores de tecnologia às conhecidas contabilidades online.

Havia uma tendência de automatizar processos usando a tecnologia. A ideia era ampliar a eficiência e baixar custos. Entretanto, sem cair da automatização pura e sem inteligência da contabilidade online. A proposta era unir a expertise do contador, e do serviço prestado pelo seu escritório, à tecnologia que oferecia praticidade e custos menores.

A ideia se apresentou como uma nova categoria de serviços de amplos ganhos para o cliente e para o contador. Para explicar um pouco melhor o assunto e retratar esse cenário falamos com sócio fundador da Omiexperience, e criador do Omie, ERP que é uma plataforma completa de gestão empresarial na nuvem para processos financeiros, Marcelo Lombardo.

Dado o contexto de evolução tecnológica em que vivemos, o que você acha da contabilidade digital como modificador do mercado de contabilidade?

Enxergamos no nosso dia a dia a tecnologia modificando profundamente diversos mercados tradicionalmente estabelecidos, e com a contabilidade não poderia ser diferente. Porém, a contabilidade digital é muito mais do que uma simples adoção de uma camada de tecnologia aos processos contábeis. Ela demanda um completo reposicionamento estratégico de mais de 80 mil organizações de contabilidade que atuam no mercado. Ela será um divisor claro entre quais dessas empresas crescerão e quais serão extintas – algo que já está acontecendo na prática.

Como o contador de muitos anos de mercado pode competir, ou lidar, com isso?

Não há como competir no longo prazo. O empresário contábil que não se adaptar, não conseguirá mais se diferenciar frente às ofertas que trazem um benefício maior ao cliente por um preço igual ou inferior.

Qual a diferença entre a contabilidade digital e a contabilidade online?

Existem muitas diferenças, mas a fundamental é essa: o compromisso principal das contabilidades online é resolver as obrigações legais de seus clientes a baixo custo. Por outro lado, o compromisso principal da contabilidade digital é melhorar a eficiência e os resultados de seus clientes, e como consequência disso resolver as obrigações legais.

O quando a contabilidade digital traz de vantagens ou ganhos para as empresas que aderem a ele?

Para as empresas, a adoção de uma tecnologia moderna e completa integrada a seu contador reduz a carga de trabalho manual em mais de 90% quando comparado a soluções gratuitas e planilhas. E para o contador, reduz seus custos operacionais em mais de 70%, gerando a margem necessária para esse reposicionamento consultivo junto a seu cliente.

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), e qual o papel dele na mudança da contabilidade de analógica para digital?

O SPED é um movimento que começou com o decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007 e visa estabelecer uma vigilância digital sobre o contribuinte. De sua concepção inicial até os dias de hoje vem se tornando cada vez mais abrangente e profundo, o que exige maior gestão e organização das empresas. Também nesse período, o governo mudou a maioria de seus atendimentos públicos para portais na Internet, como por exemplo, o e-Cac. Portanto, temos como consequência o governo conectado digitalmente ao contribuinte e ao contador. Parece-me lógico nesse cenário, que o vinculo entre contribuinte e contador deixe de ser malote e motoboy, migrando para o mesmo modelo digital.

A contabilidade digital é apenas uma mudança inovadora de mercado vinda das empresas, ou realmente já não é possível lidar com o volume de informação sem o uso da tecnologia digital?

Na verdade são ambos. Não é simplesmente uma demanda pelo volume de informações, mas também pela qualidade da informação, pois o “Big Brother” eletrônico do governo não aceita falhas. Ao mesmo tempo, as empresas não conseguem mais lidar com o volume. a um custo razoável. sem os meios digitais.

O que sempre vai demandar expertise do contador? (no contexto de ser substituído pela tecnologia)

O que vai ser substituído é o trabalho manual do contador, que custa caro e é exposto a falhas. Entretanto, a expertise como um consultor estratégico do negócio de seu cliente é algo que fica cada vez mais importante frente a uma legislação tão complexa e instável. Nesse cenário, um posicionamento consultivo do contador pode ser a diferença entre o sucesso ou o fracasso do seu cliente, pois o empreendedor costuma focar seus esforços principalmente em vendas e na operação de suas empresas. E quanto menor a empresa, mais essencial é essa proximidade consultiva do contador.

O que precisa mudar na mente do contador e do empresário que tem de lidar com essa nova prática contábil?

A principal mudança é na mente do empresário. A maioria entende que precisa investir em tecnologia para atender às exigências do governo, o que é um equívoco. Na verdade, o empreendedor precisa investir na melhor gestão e organização de seu negócio, o que traz benefícios imediatos para seus resultados. Se ele fizer isso com as ferramentas certas, as exigências do governo serão uma mera consequência dessa gestão. E a missão do contador é fazer o seu cliente entender isso, assumindo o compromisso de ajudar seu cliente na seleção das ferramentas corretas para chegar ao objetivo conjunto.

O que esperar das novas mudanças do setor?

Podemos esperar um futuro onde a tecnologia vai cada vez mais reduzir ou eliminar trabalhos manuais, e com o advento da inteligência artificial, machine learning e big data, muito em breve até tarefas mais complexas como a classificação automática de lançamentos será uma realidade. Por isso, o trabalho de análise de informações, interpretação e aconselhamento será cada vez mais valioso e necessário no mercado.

Tags : contabilidadeContabilidade DigitalMarcelo LombardoOmie