DicasNotícias

MDFe: prepare-se para o manifesto de documentos fiscais eletrônicos

RTE-Rodonaves-Quanto-custa-o-transporte-de-carga-fracionada

Por Jornal Contábil

Se a sua empresa presta serviços de transporte, o Manifesto de Documentos Fiscais eletrônico (MDFe) é um instrumento que se tornou necessário a partir de 2014 . Nele estão reunidos os Conhecimentos de Transporte Eletrônico (CTes). Isso acontece porque em uma mesma carga, vários pedidos serão atendidos. Cada um deve corresponder ao seus respectivos CTes, que são organizados em conjunto no MDFe. Mas como se preparar para fazer esse manifesto?

Primeiramente, você precisa saber que essa é mais uma forma de controle atrelada ao conhecimento de transporte. A fiscalização depende disso para acontecer. Se o motorista da sua empresa for parado pela Polícia Rodoviária Federal, por exemplo, precisará apresentar qual documento? Não basta que ele esteja portando todos os CTe. Quem fiscaliza quer fazer rapidamente o trabalho, justamente para fazer a fila fluir. Por isso, olhar em apenas um documento todos os CTe é o procedimento padrão que tem sido adotado em todo Brasil.

Por meio do MDFe é possível tornar o registro mais ágil, já que ele forma um lote que permite identificar a unidade de carga e outras características do transporte.

Importante: essas informações devem ser disponibilizadas por você! Isso mesmo, sua empresa é responsável por informar ao Fisco desde quem dirige o caminhão, até que tipo e quanto de mercadoria está sendo transportada. A não ser que seja contratada uma transportadora. Neste caso, ela tem obrigação de fazer esse preenchimento, mas cabe acompanhar o processo.

Então, para estar em conformidade com a lei e agilizar a circulação das mercadorias, organize o conhecimento de transporte em lote seguindo estes cinco passos!

  1. Reunir todas as informações

Parece simples e básico, mas reunir todas as informações sobre o transporte vai ajudar o cadastro da MDFe a ser mais rápido. Não é um passo que deve ser ignorado ou considerado óbvio, pois é necessário incluir informações completas sobre carga, produto, veículo, motorista e emitente da MDF. Isso vai facilitar principalmente a execução do terceiro passo.

  1. Cadastrar emitente

No passo dois, o primeiro cadastro a ser feito é o do emitente, ou seja, de quem está preenchendo a MDF. Uma transportadora que faz traslados para várias empresas em um mesmo veículo é responsável por esse procedimento, pois não há como apenas um cliente fazer a MDFe neste caso. Agora, quando é carga única ou o transportador tem menor porte e presta serviço só para uma empresa, o próprio cliente pode ficar responsável pelo cadastro da NFe, porque ele já tem todas as NFes. Para começar a informar o conhecimento de transporte é preciso vincular a emissão a um perfil emitente. Sem isso, não há como prosseguir com a MDF.

Tags : DicasMDFe