Notícias

Receita faz operação contra sonegação fiscal em shoppings de luxo de SP

sonegação-e-fraudes

Por G1

Fiscais visitaram lojas em centros de compras da Zona Sul e Oeste. Secretaria da Fazenda intensificou fiscalização das vendas por conta da proximidade do Dia das Mães

A Secretaria da Fazenda de São Paulo deflagrou, nesta quarta-feira (10), uma operação contra a sonegação fiscal em shoppings de luxo da capital paulista. Fiscais da receita estadual passaram a manhã visitando estabelecimentos de seis centro de compras espalhados pela Zona Sul e Oeste da cidade. Até a publicação desta reportagem, a pasta não havia divulgado balanço sobre eventuais autuações.

Segundo a Secretaria da Fazenda, 120 servidores participaram das fiscalizações nos shoppings Ibirapuera, Morumbi, Eldorado, Iguatemi, JK e Villa-Lobos. O foco era a verificação dos equipamentos de emissão de nota fiscal. Toda loja deve possuir um e o aparelho tem de ser cadastrado junto ao governo estadual.

De acordo com os fiscais, a operação foi realizada nesta semana por conta da proximidade do Dia das Mães, celebrado no próximo domingo. A fiscalização mais intensiva já é costumeira na véspera de datas festivas, quando há uma maior movimentação de clientes nos estabelecimentos comerciais.

O G1 acompanhou parte da operação no Shopping Morumbi, na Zona Sul, nesta manhã. Os fiscais se dividiram em duplas e cada uma delas ficou encarregada de verificar oito lojas. Os estabelecimentos foram determinados previamente, com base em seu público-alvo e na expectativa de vendas. Por conta do Dia das Mães, a maior parte dos locais visitados trabalhava com produtos para mulheres.

A fiscalização no centro de compras transcorreu sem grandes surpresas. Como já era esperado pelos próprios fiscais, todas as lojas verificadas atuavam dentro dos conformes. Os flagrantes de infrações costumam acontecer em estabelecimentos de marcas menores.

A única exceção, durante as visitas acompanhadas pelo G1, foi em uma loja de vestuário. O cadastro junto à Fazenda informava que existiam dois aparelhos emissores de nota fiscal no estabelecimento, quando, na verdade, só um operava nesta quarta. A irregularidade é considerada de menor potencial.

O proprietário alegou que o equipamento apresentou defeito e, por isto, foi levado para o escritório da marca, em outro endereço. Ele, no entanto, foi orientado a deixá-lo na loja mesmo sem funcionar e deve ser notificado oficialmente para atender a exigência, sob pena de multa. Como alternativa, o dono pode atualizar o cadastro da loja, informando que, agora, trabalha com apenas um emissor de notas fiscais.

Tags : SEFAZSonegação de Impostos